Somos médicos cirurgiões habilitados em cirurgias minimamente invasivas (cirurgia robótica, videolaparoscopia, laser, endopex e EPSiT) para tratamentos de doenças que afetam a parede abdominal, vesícula biliar, intestino grosso, reto e ânus.

Contato

11 94557-9041

Bypass ou sleeve qual técnica escolher

Você está em busca da melhor solução para perder peso de forma significativa e duradoura? se sim, saiba que as técnicas de cirurgia bariátrica, como bypass e sleeve, têm se mostrado eficazes para muitas pessoas. Contudo, escolher entre bypass ou sleeve pode ser uma decisão complexa, envolvendo diversos fatores de saúde.

Neste artigo, vamos explorar os fatores que influenciam essa escolha, desde o grau de sobrepeso até condições associadas, como o diabetes, por exemplo. Além disso, destacaremos a importância da preferência do paciente e da experiência do cirurgião.

Continue conosco para descobrir qual abordagem pode ser a mais promissora para o seu caso e como ela pode transformar sua vida. Afinal, o objetivo é alcançar resultados de perda de peso que sejam não apenas impressionantes, mas que também promovam uma melhoria contínua na sua qualidade de vida.

Comparação detalhada: bypass ou sleeve?

Escolher entre as técnicas bypass ou sleeve pode ser um desafio para quem busca uma solução eficaz para a perda de peso. Dentre as técnicas que existem, o bypass gástrico é uma opção mais intensa, pois reduz drasticamente o tamanho do estômago e altera a rota do intestino. Essa mudança não só limita a quantidade de comida que você pode ingerir, como também afeta como seu corpo absorve nutrientes. O resultado? uma perda de peso significativa que se mantém a longo prazo.

Outra técnica que o médico poderá utilizar é o sleeve gástrico, que é um pouco menos invasivo. Ao remover cerca de 75% do estômago, essa técnica mantém o caminho natural do intestino. Isso significa menos riscos de deficiências nutricionais após a cirurgia. Além disso, o sleeve é conhecido por ter um tempo de recuperação mais rápido em comparação com o bypass.

Ambas as técnicas são eficientes, mas é crucial avaliar os riscos e benefícios que cada uma apresenta. Conversar com um especialista lhe ajudará a entender qual das duas se encaixa melhor no seu estilo de vida e objetivos de saúde. E lembre-se: independentemente da escolha, o comprometimento com uma nova rotina alimentar e com a prática de atividades físicas será essencial para o sucesso do procedimento.

Bypass e controle do diabetes tipo 2

A técnica bypass, conhecida como cirurgia de bypass gástrico, tem mostrado resultados promissores no controle do diabetes tipo 2. Esse método cirúrgico não só contribui para a perda de peso significativa, mas também para a melhoria da resistência à insulina. Muitos pacientes relatam uma redução notável nos níveis de glicose após o procedimento.

Além disso, o novo medicamento injetável Mounjaro (tirzepatida), recentemente aprovado pela Anvisa, abre portas para um tratamento mais eficaz. Ele atua melhorando a função das células beta pancreáticas e diminuindo a resistência à insulina, que são objetivos comuns no manejo da condição.

E os benefícios não param por aí. Com o tratamento adequado, incluindo ajustes na dieta e na rotina de exercícios, pessoas com diabetes tipo 2 podem esperar uma qualidade de vida melhor. Portanto, a técnica bypass surge como um aliado potente, especialmente para aqueles que lutam contra o peso e buscam um controle mais efetivo da doença.

Cabe ressaltar que cada caso deve ser avaliado individualmente por um profissional da saúde. Afinal, o sucesso do tratamento depende de uma série de fatores personalizados. Mas é inegável: as opções estão se expandindo e trazendo esperança para quem vive com diabetes tipo 2.

Benefícios da técnica sleeve:

A gastrectomia vertical, conhecida como sleeve, é um método cirúrgico altamente eficaz no tratamento da obesidade. Essa técnica, realizada por videolaparoscopia, oferece ótimos resultados em termos de perda de peso e tem se tornado cada vez mais popular em todo o mundo.

Um dos principais benefícios da técnica sleeve é o seu efeito restritivo e metabólico. Além disso, a gastrectomia vertical tem como objetivo remover parte do antro, corpo e fundo gástricos, sendo que o último é responsável pela produção do hormônio GRELINA, que induz a fome. Com a redução do fundo gástrico, há uma diminuição significativa na produção de GRELINA, o que leva a uma redução do apetite e, então, controle mais efetivo das comorbidades associadas à obesidade.

Estudos mostram que a técnica sleeve atua ativamente no controle da hipertensão; tratamento de doenças dos lipídeos, como o colesterol e os triglicerídeos; da esteatose hepática e apneia do sono. Além disso, a cirurgia também aumenta a sensibilidade dos receptores teciduais à insulina, o que é especialmente benéfico para pacientes com resistência insulínica.

Outro benefício importante da técnica sleeve é o seu impacto no esvaziamento gástrico. Estudos de cintilografia gástrica mostram que o alimento passa mais rapidamente para o intestino após a cirurgia. Dessa forma, isso resulta em efeitos hormonais similares ao bypass gástrico e permite que pacientes com Índice de Massa Corporal menor obtenham perdas ponderais equiparáveis, com um índice de complicações também menor.

Devido aos resultados impressionantes e benefícios associados, a técnica sleeve tem ganhado destaque nas últimas décadas e se tornou a mais utilizada em diversos países, incluindo os Estados Unidos. Sua eficácia no tratamento da obesidade e controle das comorbidades faz dela uma opção atrativa para pacientes que buscam uma solução duradoura e efetiva para o excesso de peso. Leia também: Cirurgia bariátrica e qualidade de vida: impacto no bem-estar

 Longevidade dos resultados: bypass ou sleeve?

Escolher entre a técnica bypass ou sleeve para emagrecimento é uma decisão importante. Ambas as cirurgias oferecem resultados significativos na perda de peso a longo prazo. E mais, elas melhoram doenças relacionadas à obesidade. Mas, o que acontece com a durabilidade desses resultados?

Estudos indicam que o bypass gástrico tem uma vantagem na manutenção dos benefícios ao longo dos anos. Isso significa que condições como diabetes e hipertensão podem ser controladas com mais facilidade após essa cirurgia. Em contraste, a gastrectomia vertical — ou sleeve — apresenta taxas menores de complicações cirúrgicas, o que é um fator importante a considerar.

E sobre o retorno do peso?

Bem, há estudos que indicam que os pacientes que optam pelo sleeve podem enfrentar um aumento de peso após um longo período. Isso contrasta com o bypass, em que a probabilidade de reganho de peso parece ser menor. Contudo, vale ressaltar que ambos os procedimentos podem levar a um aumento na expectativa de vida e melhoria na qualidade de vida. Desde que, claro, os pacientes sejam bem selecionados e sigam as recomendações de cuidados pós-operatórios.

Um passo fundamental para o bem-estar

Portanto, a decisão entre bypass ou sleeve não é apenas uma questão de eficácia – ela também está intrinsecamente ligada à sua história pessoal de saúde e às suas expectativas em relação ao procedimento. A escolha certa deve ser feita com base numa reflexão cuidadosa sobre os seus objetivos individuais e sob a orientação criteriosa de um profissional qualificado.

Esperamos que esse artigo tenha iluminado seu caminho rumo à transformação da sua vida por meio da perda de peso segura e sustentável. Não deixe para amanhã a mudança positiva que você pode começar hoje.

Não perca mais tempo! Entre em contato agora mesmo e saiba mais sobre as opções disponíveis e dê o próximo passo confiante na direção do bem-estar duradouro. Cada momento conta quando se trata da sua saúde. Estamos aqui para apoiá-lo(a) nessa trajetória transformadora!

Eco Medical Center

Hospital São Marcelino Champagnat

Agendamento Online